Como a economia circular e a sustentabilidade são abordadas no ensino superior? Confira o debate do CRA-RS Recebe

Como a economia circular e a sustentabilidade são abordadas no ensino superior? Confira o debate do CRA-RS Recebe

No último sábado, 28, o Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul (CRA-RS), através da sua Câmara de Ensino, promoveu mais uma edição do evento CRA-RS Recebe. O painel teve como temática a economia circular e a sua relação com a sustentabilidade, visando discutir sobre como esses assuntos estão sendo abordados nas instituições de ensino superior.

Após a abertura, realizada pela coordenadora da Câmara de Ensino, Adm. Beatriz Athanasio, o professor do Departamento de Ciências Administrativas da UFRGS Luis Felipe Machado do Nascimento falou sobre o progresso em relação ao conceito de sustentabilidade, que há pouco anos não era debatido e atualmente está bastante em pauta nas mídias, sendo inclusive exigência do Ministério da Educação nos currículos dos cursos da área da Administração. 

Segundo ele, a sustentabilidade tem relação direta com a economia circular: “O nosso sistema de produção atual é linear, pensa em produzir, consumir e descartar, e a natureza não consegue absorver tudo o que sobra. Na economia circular, há uma aproximação de um processo mais natural, que reaproveita os resíduos e os transforma em matéria-prima novamente”, explica Luis. 

Para a coordenadora dos cursos de Administração e Superiores de Tecnologia em Gestão do Centro Universitário Cesuca, Adm. Caroline Chagas Prates, é importante abordar a sustentabilidade em todas as disciplinas, não apenas nas específicas sobre responsabilidade social e ambiental. Na área de logística, por exemplo, através da gestão estratégica de operações, é possível mudar a lógica de todo o ciclo de produção e consumo, em vez de focar somente na reciclagem. “A chamada logística reversa leva o final da cadeia para o fornecedor inicial, redistribuindo os recursos e zerando os desperdícios”, analisa. 

Potencializar o uso dos serviços no lugar dos produtos também é uma tendência sustentável do mercado. O professor e coordenador de curso na FADERGS Adm. Diogo Simões Pires trouxe alguns exemplos, como os aplicativos de transporte, locadoras de veículos e até mesmo assinaturas de bens de consumo como impressoras. 

Diogo acredita ser essencial entender o consumidor do século 21, que está cada vez mais engajado nas questões sociais, para construir, além das estratégias de marketing das empresas, os planos de ensino das faculdades. “Além dos Millennials, nós já estamos dando aula para a Geração Z, que é um perfil de discente mais preocupado com as mudanças climáticas, mais ativo e que busca consumir de forma mais consciente”, ressalta. 

Por fim, o professor e orientador Adm. Carlos Eduardo dos Santos Sabrito, que também mediou o encontro, apresentou o papel das organizações como gestoras dessas mudanças. “Os recursos são escassos e em breve a economia circular não vai ser mais opcional. Precisamos fazer essa formação em larga escala e capacitar os profissionais da Administração para a criação e o gerenciamento de novos modelos de negócio”, salientou Carlos. Após a apresentação, houve um espaço para debate e esclarecimento de dúvidas.