Encerrou-se, no dia 18 de maio, a sexta edição do EPROCAD, realizado pela Câmara de Ensino do CRA-RS, e V Encontro Estadual da ANGRAD. Este ano, o evento ocorreu no Centro Universitário Metodista IPA, em Porto Alegre, e teve participação intensa de professores, coordenadores e acadêmicos da Administração.

O VI EPROCAD teve um público de diferentes cidades do interior do estado e do país. O evento reuniu mais de 200 participantes que discutiram o ensino da Administração e o seu futuro. A atividade, que é voltada pra professores e coordenadores de Administração, teve, neste ano, uma grande participação de estudantes. É o caso de Gisele Rabello, acadêmica da IMED, de Passo Fundo, que participou pela primeira vez do encontro. “Eu vim acompanhando o meu coordenador, para ter contatos, poder trocar experiências. Trabalho na minha instituição e quero poder levar o que aprendi aqui para lá”, explica. Para ela, a forma como o evento foi organizado tornou-o mais interessante. “Achei muito válido os grupos de trabalhos, pois foram eles que nortearam. O evento superou minhas expectativas e quero participar dos próximos”, destacou.

O professor e coordenador de curso da UNIJUÌ Campus Santa Rosa, Adm. Ariosto Sparenberger também destacou a consolidação do evento. “Fico feliz de ver esse aumento qualitativo e quantitativo no encontro, já participei de outros EPROCADs, mas neste percebi uma maior participação e interação com os alunos. Os grupos de trabalho dão um direcionamento muito interessante ao evento e nos permitem uma troca de experiência incrível”, destacou o coordenador.

Grupos de Trabalho:

No primeiro dia de evento (17/05), os participantes formaram Grupos de Trabalhos onde discutiram os seguintes temas: Opiniões, experiências e diálogos; O uso das redes sociais e Racionalização dos instrumentos de ensino. Os grupos apresentaram os resultados de seus debates ao ar livre, em frente ao Campanário do IPA, podendo assim, conhecer a Instituição e sair da sala de aula.

O GT de Opiniões, experiências e diálogos acredita que a comunicação é um importante incentivo na relação professor aluno e que o docente deve abrir espaço para as opiniões dos seus alunos, destacando que deve haver sempre respeito mútuo. É preciso levar em conta, também, as diversidades dos acadêmicos dentro da sala de aula. Outro ponto destacado foi a presença de doutores, cada vez mais jovens, nas salas de aula, o que muda a percepção e a relação entre docente e o discente; e a importância do coordenador de curso atuar também com gestor, não só do ensino, mas estar próximo ao mercado de trabalho, de forma que saiba as necessidades e atualizações deste cenário profissional, buscando assim incentivar o acadêmico, de acordo com as necessidades do mercado.

O uso de redes sociais foi o segundo GT a ser apresentado e destacou, primeiramente, as características das redes no processo de ensino aprendizagem, tais como autogeração de conteúdos, não há hierarquia nem diferenças de classes sociais, a descentralização da informação e a utilização do espaço público. Para o grupo, é de extrema importância para o processo pedagógico esta contribuição tecnológica, visto que ela cria uma interação entre alunos e professores, além da possibilidade de se disponibilizar conteúdos para o aprendizado e o compartilhamento dos mesmos. Foi discutida também a postura do professor nas redes sociais, que deve entender estas como uma extensão da sala de aula.

O terceiro GT discutiu a Racionalização dos instrumentos de ensino, onde foi apresentado o desafio da atualização tecnológica dos professores, buscando acompanhar o desenvolvimento dos alunos. Hoje em dia, o aluno constata e contesta o professor no ato, e o docente tem que estar preparado para lidar com esse cenário. É preciso expressar os conteúdos de acordo com as competências dos alunos e trazer deles práticas que o mercado de trabalho utiliza; buscar uma aproximação com as empresas para conhecer a realidade e aproximar os alunos a esta realidade de mercado de trabalho.

Os alunos apresentaram suas opiniões a respeito dos três temas e destacaram que é preciso atualizações do professor, como por exemplo, em seus materiais utilizados (apresentações de slides, questões de provas iguais a de anos anteriores); assim como aulas mais inovadoras. Foi discutida também a necessidade de adequar o ensino à realidade do aluno e que o docente instigue mais os estudantes.

 

Dr. Amaru Maximiano discute o Século do Relacionamento Humano

Na noite do dia 17, primeiro dia do VI EPROCAD, ocorreu a palestra magna, realizada pelo Dr. Amaru Maximiano. O evento, que foi a abertura oficial do encontro, teve as presenças do reitor do Centro Universitário Metodista IPA, Roberto Fontes da Fonseca; da presidente do CRA-RS, Adm. Cláudia de Salles Satdtlober; do presidente da ANGRAD, Adm. Mauro Kreuz; do presidente da Câmara de Ensino do CRA-RS, Bruno José Ely e do coordenador do curso de Administração do IPA, Rafael Freitas Barbosa. Antes da palestra, a Adm. Cláudia parabenizou a equipe da Câmara de Ensino do Conselho pela realização do evento e também o IPA, pela comemoração dos 90 anos da instituição.

O Dr. Amaru Maximiano deu início a sua palestra elencando-a em tópicos: Somos seres sociais? Conflitos; Por que nos relacionamos? e Como nos relacionamos? Além disto, colocou as pessoas, como seres sociais, sob quatro perspectivas: sociológica; psicológica; jurídica ou de direitos humanos e administrativa. Maximiano expõe que o conflito sempre produz avanço, e tende há não mais se repetir. “A teoria evolui porque há conflito.” Dentro da Administração, explica que o conflito gerou a criação da mediação e arbitragem, por exemplo. E porquê nos relacionamos? O palestrante coloca como fatores a necessidade de aprendermos; a possibilidade de analisarmos, tomarmos decisões e produzirmos melhor, criarmos sinergia com outras pessoas. A forma de relacionarmos, para Maximiano, é apresentada como a escrita em um nível superior à fala, entretanto, quanto ao cenário tecnológico de atualmente, o autor acredita que a tecnologia tem a capacidade de “emburrecer”. “Vivemos hoje a revolução digital, que exponencializou todas as nossas competências de comunicação, e isto tornou claro a distinção entre informação e conhecimento”, disse. Maximiano finaliza sua fala destacando que precisamos voltar aos primórdios, unindo, novamente, trabalho, lazer e relacionamento.

Ao final da palestra, a coordenação do VI EPROCAD, formada pela Adm. Gislaine Rossetti Madureira Ferreira; Adm. Nara Maria Müller; Adm. Maria D´Lourdes Guimarães Rotermund; Adm. Elimar Kroner Teixeira e o Adm. David Iasnogrodski entregou ao Dr. Amaru uma placa de agradecimento.

 

Painéis debatem temas de GTs

No segundo e último dia do EPROCAD, três painéis discutiram os assuntos que serviram de temas para os grupos de trabalho, que aconteceram no primeiro dia de encontro. O coordenador do curso de Administração do IPA, Adm. Rafael Freitas Barbosa abordou “Opiniões, experiências e diálogos”. Para Barbosa, o diálogo deve ser a base comunicacional em um processo de aprendizagem, para ele, deve-se alterar a relação de poder entre professor aluno, as duas partes devem ser capazes de aprender com a experiência.

O professor do Instituto Evangélico de Novo Hamburgo (IENH), Adm. Sílvio Luiz Vasconcellos apresentou o “Uso das tecnologias: convidadas ou invasoras”? Para ele, há nos alunos a necessidade de passar de fase, herança dos jogos de vídeo game. Vasconcellos entende que é necessário que o docente também se atualize. “O mundo não é só da geração Y, Z, é também a época em que nós estamos vivendo.”

O encerramento dos painéis foi com a supervisora acadêmica do Núcleo de EaD do Centro Universitário Leonardo da Vinci (Uniasselvi), Rosimar Bizello Müller, que acredita que este é um momento significativo ao que tange o ensino. Para ela, é preciso fortalecer o trabalho pedagógico. Rosimar apresentou um case de um ambiente virtual de aprendizagem. A supervisora falou também sobre o uso de “trilhas de aprendizagem”, que norteiam o estudo; Segundo a professora, a aprendizagem é colaboração. “Aprende-se na interação, as atividades pesquisadas”, ressaltou.

Presidente da ANGRAD encerra VI EPROCAD

No dia 18 de maio, o presidente da Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (ANGRAD), Adm. Mauro Kreuz realizou a palestra de encerramento do evento. Kreuz debateu o tema “Inovação e aprendizagem nos cursos de Administração”. O presidente deu início à fala apresentando dois paradoxos. O primeiro é em relação a sua inquietação quanto ao atual cenário tecnológico. “Apesar da impressão de que estamos cada vez mais próximos, nunca tivemos tantas doenças emocionais”, constatou.

O segundo paradoxo é de que há uma ruptura de gerações na educação. “Saímos de uma era de ensino para uma era de aprendizagem”. Kreuz questionou se o curso de Administração está preparando futuros Administradores para um cenário de inovação, tecnologia, ciência e interdisciplinaridade. Para ele, é fundamental que o professor não esqueça o seu lado de aluno.