O termo Fake News foi escolhido como palavra do ano de 2017 pelo dicionário da editora britânica Collins e designa notícias fabricadas para enganar pessoas. A disseminação dessa prática ganhou proporções estratosféricas com o advento dos aplicativos de conversas nos smartphones e redes sociais na internet. Para se ter uma ideia, jornalistas profissionais, hoje em dia, têm gastado mais tempo “apagando incêndio”, ou seja, investigando as chamadas fake news para evitá-las do que produzindo “news” de verdade. Esse tipo de mentira já teve protagonismo nas eleições americanas que elegeram Donal Trump e prometem causar impacto semelhante no pleito brasileiro de 2018.
 
Para discutir o impacto da disseminação de informações falsas, o Conselho Federal de Administração e a Embaixada da França promoveram, na manhã desta quarta-feira, o evento “Fake News – Fatos e Impactos: Como tratar a informação na era pós-verdade”. Quem ministrou a palestra foram os especialistas franceses Dominique Cardon e Patrick Le Bihan. A presidente do CRA-RS, Adm. Claudia Abreu, e o Vice-Presidente de Fiscalização e Registro, Adm. Bruno José Ely, estiveram presente na ocasião.
 
Dominique Cardon – é diretor do Médialab da Sciences Po. Pesquisador do Laboratório de Usos (SENSE) da Orange Labs e Professor Associado da Universidade Paris Est / LATTS. Desde o início dos anos 2000, sua pesquisa enfoca os usos da Internet em diferentes contextos. Autor de inúmeras publicações científicas, que impactam a vida digital do cidadão.
 
Patrick Le Bihan – Patrick Le Bihan é professor assistente na CEVIPOF desde 2016. Depois de um duplo grau Sciences Po – Freie Universität Berlin, recebeu seu PhD em ciência política na Universidade de Nova York em 2013. Suas áreas de pesquisa são a análise comparativa de instituições políticas, economia política e teoria política formal.