Duplica 287: Administrador é um dos líderes do movimento que gerou resultado histórico para o Estado

Duplica 287: Administrador é um dos líderes do movimento que gerou resultado histórico para o Estado

Há mais de 10 anos como uma demanda recorrente da população gaúcha, a duplicação da RSC-287 finalmente está saindo do papel. Essa ação é resultado do trabalho da Comissão Duplica RS-287, da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Santa Cruz do Sul, coordenada pelo Administrador Lucas Rubinger, um dos líderes do movimento. No dia 18 de dezembro, foi conhecido o consórcio que venceu o leilão de concessão da rodovia e, em entrevista, Rubinger explicou as fases do processo e como foi encabeçar esse movimento.

Com mais de 204 quilômetros de extensão, a 287 é uma das poucas rodovias que cortam o Estado de leste a oeste, passando por 13 municípios gaúchos. Reunindo entidades de classe dessas cidades, associações comerciais e clubes de serviços, Rubinger, juntamente com outros representantes da região, articulou a campanha Duplica 287, buscando apoio do poder público e da imprensa. “Precisávamos ecoar essa pauta em todo o Estado, mostrando a necessidade da duplicação e fazendo com que os candidatos e políticos já eleitos se comprometessem com a iniciativa”, explica.

Após inúmeras reuniões, entregas de ofícios e assinaturas em prol da campanha, o coordenador relembra o momento em que começou a cobrar a realização do que havia sido combinado: a apresentação de algum avanço ainda nos 100 primeiros dias da última eleição estadual. Na sequência de várias audiências públicas, foi finalmente lançado o plano de concessão da estrada. “Mesmo com a pandemia, não paramos o trabalho nos bastidores, articulando e cobrando.”

Atingindo um resultado histórico, com um valor 54,41% abaixo do teto estipulado na licitação, o Consórcio Via Central venceu o leilão de concessão ao apresentar uma tarifa de apenas R$ 3,36 por praça de pedágio. Durante os próximos 30 anos, a empresa deverá investir R$ 2,7 bilhões, sendo R$ 1 bilhão já nos primeiros 10 anos, e cumprir o cronograma de obras e modernizações, incluindo a duplicação de toda a extensão da rodovia nos dois sentidos de fluxo. A concessão será regulada pela Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (AGERGS). 

Para além dos benefícios gerados aos gaúchos, como mais segurança na estrada, Rubinger destaca o crescimento profissional proporcionado pela experiência. “É muito importante trabalhar para motivar as lideranças, orquestrar os movimentos e sistematizar as ações das entidades na luta por uma iniciativa conjunta”, afirma. Agora, a expectativa está em torno do início das obras, previsto para o segundo trimestre de 2021.