1° EREF aprofunda o debate e a troca de experiências sobre fiscalização e registro entre os estados da região Sul

1° EREF aprofunda o debate e a troca de experiências sobre fiscalização e registro entre os estados da região Sul

Aprofundamento do debate e troca de experiências sobre fiscalização e registro entre os estados da região Sul. Esse foi o principal objetivo do 1° EREF - Encontro Regional de Registro e Fiscalização, promovido pelo CRA-RS, em Gramado (RS), nos dias 16 e 17 de setembro. Além da diretoria, conselheiros e fiscais do CRA-RS, o evento contou com a presença do presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Adm. Mauro Kreuz, e de representantes do CRA-PR.

O vice-presidente de Fiscalização e Registro do CRA-RS, Adm. Luiz Klippert, reiterou esse propósito na abertura do encontro, definindo-o como “um espaço idealizado para discutir as questões mais importantes referentes ao registro e à fiscalização e um canal de discussão direto entre os estados do Sul”. Já a presidente do CRA-RS, Adm. Claudia Abreu, destacou o papel social da fiscalização. 

“Quando fiscalizamos uma instituição, estamos protegendo a sociedade, que é o nosso dever, garantindo que os recursos estejam sendo administrados por um profissional apto e responsável, com a competência técnica para isso. Contribuímos todos, com muita garra, para um amanhã melhor”, explicou Claudia.  

Enquanto o diretor de Fiscalização e Registro do CRA-PR, Adm. Sérgio Francisco Pedroso, falou sobre a importância do compartilhamento das melhores práticas entre os Conselhos, o presidente Adm. Mauro Kreuz parabenizou a iniciativa do CRA-RS: “Que sirva de inspiração para os demais estados, afinal o nosso core business é esse - registrar e fiscalizar”. 

Mauro também conduziu o primeiro painel do dia, sobre ameaças e oportunidades dos Conselhos Profissionais, apresentando análises do CFA que evidenciam a relação entre mercado e registro, como a porcentagem de profissionais graduados que ainda não se registraram. Segundo ele, a inadimplência caiu, mas o número de registros não tem crescido como o ritmo do mercado e ainda há um alto índice de desligamento entre os registros mais recentes. “Tudo isso demonstra que, apesar do nosso trabalho incansável, ainda temos dificuldades de que nossa atuação atinja e apareça para além do Sistema”, comentou.

Na palestra sobre a avaliação do Encontro Nacional de Fiscais do Sistema CFA/CRAs (Enaf) 2021, a diretora da Câmara de Formação Profissional do CFA, Adm. Cláudia Stadtlober, afirmou que agora é o momento de pensar coletivamente, discutir e colaborar para inovar. “Meu sonho é chegarmos ao patamar onde a gente não precisa mais fiscalizar, porque a sociedade já faz isso. Se quer desenvolver um plano de salários e carreiras? Vai chamar um Administrador, que vai assinar com o seu registro, do mesmo jeito que é feito com um médico ou um engenheiro dentro das suas atribuições”, compartilhou. 

Para o Adm. Klippert, o EREF é uma oportunidade de aprofundamento dos debates iniciados no Enaf, como a necessidade de aproximação entre os CRAs e os profissionais da Administração e de uma integração com a sociedade, que muitas vezes não enxerga o porquê da existência dos Conselhos Profissionais. “Não podemos e não vamos deixar os profissionais à deriva em um mercado que pode ser injusto com aqueles que buscaram um aprimoramento técnico e científico para exercer a sua função e acabam preteridos em relação a profissionais que não tem essa habilitação para desenvolver as ações gerenciais, mas são mais baratos na folha de pagamento. Só que o custo final de ter um funcionário despreparado é muito maior para as empresas.”

Na sequência, foram apresentados cases de sucesso, como a implementação da Carteira de Identidade Profissional (CIP) Digital pelo CRA-PR, uma forma mais prática, moderna e totalmente segura do profissional comprovar que é registrado. O aumento da fiscalização do CRA-RS, mesmo durante a pandemia, também foi destaque. O coordenador de fiscalização e registro do Conselho gaúcho, Adm. Sérguei Durand Uminski, falou sobre as práticas que aumentaram a produtividade do setor, como a organização de uma carga de trabalho mais definida para dar conta do volume de processos, a segmentação das diferentes áreas de fiscalização, a digitalização e o investimento em tecnologia e a parceria com o setor financeiro e o departamento jurídico do CRA-RS. 

“Em 2019, houve a movimentação de pouco mais de 2 mil processos, enquanto em 2020, foram mais de 4 mil. Além de uma maior produção, essas mudanças deram mais agilidade ao fluxo, geraram economia e mais integração entre os setores”, ressaltou Durand. Ao final, o advogado Alexandre Schmitt da Silva Mello, da equipe de assessoria jurídica do CRA-RS, ministrou uma palestra sobre os reflexos da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) na atuação dos CRAs. 

O segundo dia de evento também teve programação intensa e contou com apresentações sobre diversas temáticas, como o estado da arte da fiscalização na região Sul, dívida ativa e os aspectos legais na recuperação de créditos, propostas de melhorias para as resoluções normativas do Sistema CFA/CRAs e discussão de estratégias para a atuação do Conselho junto ao Poder Judiciário. Além disso, houve um debate sobre as áreas submetidas à fiscalização do CRA-RS - holding, condomínios e RH -, o encaminhamento das conclusões sobre o 1° EREF e a leitura da Carta de Gramado.