Novos critérios para a distribuição de recursos públicos para os hospitais: confira o debate do CRA-RS Recebe sobre o programa Assistir

Novos critérios para a distribuição de recursos públicos para os hospitais: confira o debate do CRA-RS Recebe sobre o programa Assistir

Na noite desta terça-feira, 31, o Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul (CRA-RS), através da sua Câmara da Saúde, promoveu mais uma edição do CRA-RS Recebe. O evento teve como temática o Assistir, programa estadual que define os critérios técnicos de distribuição dos recursos públicos destinados a serviços de saúde ambulatorial e hospitalar contratualizados pelo SUS no Rio Grande do Sul. 

Após a abertura, realizada pela coordenadora da Câmara da Saúde, Adm. Márcia Brasil, a presidente do CRA-RS, Adm. Claudia Abreu, parabenizou a articulação da Câmara e destacou a relevância da temática em debate. “É muito importante para nós, gestores, diretores e consultores, entender e nos preparar para os novos modelos que estão sendo pensados na área da saúde”, ressaltou. 

Com mediação do Adm. Alexandre Andara, a convidada do painel, que é especialista em Gestão da Saúde e diretora do Departamento de Gestão da Atenção Especializada da Secretaria Estadual de Saúde do RS, TE. Lisiane Wasem Fagundes, apresentou o panorama histórico da criação do Assistir. Segundo ela, a necessidade de revisão da forma como eram aportados os recursos estaduais foi um pleito dos próprios hospitais e de suas representações, visto que havia uma ausência de critérios técnicos para a definição dos incentivos e uma grande dificuldade no monitoramento da aplicação dos valores. 

“Além da revisão dos critérios, nosso maior desafio era encontrar uma maneira de colocar em dia a remuneração dos hospitais e conseguir manter a regularidade dos pagamentos”, explica Lisiane. “O principal objetivo do Assistir é trabalhar com transparência, isonomia e equidade a distribuição desses incentivos hospitalares.”

Na sequência, a diretora trouxe os detalhes técnicos e explicou os critérios que embasam os cálculos estaduais através do Assistir. Agora, os recursos serão distribuídos de maneira proporcional aos serviços entregues à população, independentemente do tipo de gestão (estadual ou municipal), observando a regionalização da saúde e a capacidade de cada instituição. A nova metodologia desenvolvida pelo Estado leva em conta tipos de serviços prioritários, elencados a partir da análise de indicadores epidemiológicos das regiões. Após a apresentação, houve um espaço para debate e esclarecimento de dúvidas. 

Confira a explicação detalhada sobre o funcionamento do Assistir e dos seus critérios:

Clique Aqui