Causas e consequências da Síndrome de Burnout: confira o painel do CRA-RS Recebe

Causas e consequências da Síndrome de Burnout: confira o painel do CRA-RS Recebe

Na noite desta quarta-feira, 11, o Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul (CRA-RS), através da sua Câmara da Saúde, promoveu mais uma edição do evento CRA-RS Recebe. Com a mediação do Adm. Giovani Souza Silveira, o painel teve como temática a Síndrome de Burnout, também conhecida como Síndrome do Esgotamento Profissional, e as suas consequências no trabalho e no bem-estar dos profissionais. 

Na abertura, realizada pela coordenadora da Câmara da Saúde, Adm. Márcia Brasil, o vice-presidente de fiscalização e registro, Adm. Luiz Klippert, ressaltou a importância da parceria e do objetivo em comum dos conselhos convidados: a promoção da saúde com qualidade. A primeira palestrante, a psicóloga do trabalho e conselheira do Conselho Regional de Psicologia do RS (CRPRS) Fabiane Konowaluk Santos Machado, comentou sobre a modificação da percepção da saúde mental em razão da pandemia e sobre os impactos que a migração da carga de trabalho para a casa teve na qualidade de vida e nas emoções das pessoas. 

“Passamos a ‘morar no trabalho’ e, diferente de outras patologias, o Burnout tem origem direta na sobrecarga de atividade profissional.” Segundo ela, o distúrbio também se diferencia do estresse, que tem vários níveis e geralmente está associado a questões pontuais da rotina. “A Síndrome aparece quando todos os níveis de estresse já foram ultrapassados e o indivíduo segue na situação estressora”, explica. 

Alguns dos sintomas estão relacionados à sensação de “piloto automático”, um desligamento do contato com as emoções, como se tudo perdesse o sentido. Para o vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do RS (Cremers), Eduardo Neubarth Trindade, outros sinais de alerta são: fadiga constante e progressiva, que pode se manifestar através de muito sono ou grande dificuldade de desligar do trabalho; dores musculares; problemas de atenção e memória; sentimento de desamparo; sensação que nada faz diferença ou causa prazer e que levar a vida no trabalho e em casa parece toda a energia. 

Os fatores que podem contribuir para o surgimento do Burnout envolvem um clima organizacional hostil ou de muita pressão, pouca autonomia no trabalho e demandas excessivas. Além disso, problemas no desenvolvimento da carreira e ausência de reconhecimento também podem ser gatilhos para a doença. 

A presidente do Conselho Regional de Enfermagem do RS (Coren-RS), Rosângela Gomes Schneider, destacou a necessidade de todos se manterem atentos ao próprio sofrimento e aos dos colegas. “A produção acelerada tira o tempo da gente se relacionar e olhar para o outro e para si. Mas não podemos sentir vergonha de buscar ajuda, conversar com amigos e familiares e buscar mecanismos que auxiliem no relaxamento.” Após a apresentação, houve um espaço para debate e esclarecimento de dúvidas.