Modelos de planejamento hospitalar é tema do CRA-RS Recebe realizado pela Câmara de Saúde

Modelos de planejamento hospitalar é tema do CRA-RS Recebe realizado pela Câmara de Saúde

Ciente da importância de um bom planejamento estratégico na gestão de instituições de saúde, a Câmara de Saúde do Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul (CRA-RS) convidou especialistas na área para debater este tema. A coordenadora da Câmara, Adm. Marcia Brasil, e a Adm. Ruth Dornelles mediaram o CRA-RS Recebe realizado no dia 20 de outubro e transmitido pelo canal do Youtube da autarquia.   

Pela proposta da agenda, cada convidado abordou um modelo de planejamento hospitalar. Sendo assim, o gerente Administrativo da Sociedade Sulina Divina Providência, Adm. Fabiano J. Araújo, falou sobre a relação sistêmica e multidisciplinar adotada na instituição. Segundo ele, um dos maiores desafios é gerir profissionais com conhecimentos distintos – médicos, administradores, contadores, recepcionistas, enfermeiros –, todos trabalhando juntos. “O planejamento precisa organizar e estabelecer equilíbrio entre as áreas. Para isso é preciso alinhar a cultura de interação entre cada uma delas”, destacou. Para não falhar nessa missão, Araújo alerta sobre a necessidade de se criar um espaço de discussão e, principalmente, de conexão entre os profissionais com diversos conhecimentos.

A secretária de Saúde de Pelotas, Adm. Roberta Paganini, apresentou o Modelo de Cogestão/Rota da Cogestão, que atua de forma horizontalizada e prioriza o trabalho em conjunto e o compartilhamento do poder, incentivando a corresponsabilização. “O conceito do trabalho aqui é amplo e fala de um valor social aplicado no dia a dia. O que o trabalhador deseja? O que ele precisa para a vida? Precisamos ter espaços de diálogo com os colaboradores e com os usuários da instituição hospitalar para ter um olhar capaz de gerenciar o coletivo”, ressaltou. 

Para tratar de Planejamento Estratégico, o diretor administrativo do Hospital São Sebastião Mártir, em Venâncio Aires, o Adm. Fernando Siqueira, explicou a importância de se iniciar por uma análise externa e interna do cenário a ser trabalhado. ”Por exemplo, se o dólar sobe ou cai, como isso afeta minha instituição? Como isso impacta meus objetivos?”. De acordo com ele, um hospital precisa ter uma ferramenta que seja de fato um norteador de ações “para saber quais são os serviços os quais podemos crescer, investir e onde precisamos tomar mais cuidado e proteger a qualidade das entregas”. Assim, avalia, “é possível se posicionar de forma inteligente, trabalhar temas chave e desenhar metas para o hospital como empresa”.

O evento completo pode ser acessado no link: https://www.youtube.com/watch?v=GYG0sIjeHHw.